Gastando muito com energia elétrica?

Sabemos que com a crise hídrica a nossa conta de energia elétrica bateu um recorde ruim para os brasileiros, tanto a seca quanto os aumentos bateram também bateram recordes históricos, porém um caminho promissor se abre sobre as matrizes energéticas

Sabemos que com a crise hídrica a nossa conta de energia elétrica bateu um recorde ruim para os brasileiros, tanto a seca quanto os aumentos bateram também bateram recordes históricos, porém um caminho promissor se abre sobre as matrizes energéticas, a matriz solar pode contribuir para amenizar os impactos da seca, tanto no quesito de oferta de energia elétrica na rede, quanto na produção de energia limpa, o que contribui também na melhora da qualidade de vida e do meio ambiente, quando se energia solar pode considerar que evita o corte de árvores.

Um levantamento feito pela ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar), relata que recentemente o país atingiu a marca de meio milhão de locais produzindo a própria energia a partir de módulos solares por meio de fonte fotovoltaica. Se compararmos estes números com por exemplo os da Europa que 5% das instalações já possuem geradores de energia fotovoltaicas. Nos países de primeiro mundo o governo estimula a instalação e cria incentivos e benfeitorias para quem pretende adquirir os sistemas.

De 2012 pra cá o país instalou mais de 5,8 GW (gigawatts) de potência, apenas em 2018 mais de 1 GW foi instalado e este número não para de crescer, até agora em julho de 2021 o número cresceu 44% em relação ao mesmo período do ano passado, a soma dos últimos 3 anos chega a quase 1000% de aumento de sistemas e potência instalada.

Em 2020 o setor de energia solar foi responsável por cerca de 74 mil empregos diretos, mesmo em plena pandemia o setor não parou de crescer, muito pelo contrário, com mais tempo em casa as pessoas passaram a consumir mais energia elétrica e sentiram este aumento, o que levou a optar pelos sistemas de geração de energia solar fotovoltaica nas residências, acarretando investimentos na ordem de R$11 bilhões.

Uma das principais características e também vantagens dos sistemas solares está em sua durabilidade que pode ultrapassar os 25 anos, com uma leve queda de rendimento com o passar o tempo que a olho nu é quase imperceptível, sistemas a partir de R$10 mil reais são encontrados no mercado para atender residências com baixo consumo, no entanto residências de alto padrão o valor de investimento inicial varia um pouco. Com um payback que é o retorno estimado dos investimentos varia de acordo com o projeto, mas no geral fica entre 3 e 7 anos.

Na contemporaneidade visto os desastres naturais causados pelo desmatamento, o apelo ao sustentável, uso de energias limpas, cuidado com as florestas e dos biomas é tão sério e importante quanto o cuidado com as pessoas, e a geração de energia solar vem de encontro com estes preceitos, pois é renovável, praticamente infinita e limpa, não depende de combustíveis fósseis, não consume água e ainda quanto mais se usar energia solar, menos as usinas termelétricas serão necessárias.

Compartilhe: